sábado, 12 de janeiro de 2013

Massagem - Conto Erótico





Há dois dias não transava, e trabalho, trabalho e mais trabalho.
Meus ombros já mostravam os efeitos do estresse, eu precisava de uma massagem, de um relaxamento, enfim; precisava me sentir nova em folha de novo.
Foi com esse intuito que procurei o cartão do meu massagista. Liguei para ele e agendei um horário para o dia seguinte.
Com um cartão na mão e um sorriso nos lábios saí toda periguete, já imaginando meu corpo novo em folha e pronta para uma.

E no dia seguinte após mais uma dia exaustivo de trabalho fui para o endereço do massagista.
Seu nome: Silvio.

Meia hora depois...
Uma toalha cobria meus seios e estendia-se até alguns centímetros abaixo do meu sexo.
As mãos lubrificadas de Silvio, o massagista, percorriam minhas coxas, subindo e descendo num toque profissional, mas cheio de provocação e sutileza.
Seus polegares avançavam pela parte interna das minhas coxas, até roçar minha xoxota depiladinha, lisinha e macia.
De olhos fechados, eu estremecia, cada vez que os dedos dele chegavam próximos a minha feminilidade.
" Ah que vontade de transar...e minha buceta umedecia a cada toque dele."



- Como se sente? – me perguntou.

- Um lixo, Silvio – murmurei, minha voz me traindo, com as sensações que o ir e vir daqueles polegares provocavam em meu corpo.
- Voce é adrenalina pura. Sabe o que acho? Acho que você está precisando mesmo é de uma pica dura nessa xoxota rosadinha.- ele me disse com naturalidade e agora fitando meus olhos.
- Voce se habilita? – perguntei fechando meus olhos, ao sentir meu rosto afoguear-se, meu corpo estrecemendo de tesão acumulado há dois dias.
Senti que ele parou de me massagear, abri os olhos e o vi apanhar uma toalha.
Enxugou suas mãos e depois fez o mesmo nas minhas coxas.
- Fala sério?
- Nunca falei tão sério, Silvio.
Com movimentos indecisos, ele tirou o guarda-pó, fitando meus olhos.
Meus seios arfavam, demonstrando minha excitação.
- Puxa, acertei tanto assim? – perguntou tirando a camisa e exibindo músculos bem delineados e fortes.
- Sim...Nunca acertou tanto...Há dois dias não transo...Só trabalho e mais trabalho...
Silvio desafivelou o cinto, depois abaixou o zíper da calça jeans.
Abaixou-o, levando consigo a sua sunga. Sua pica ereta.
Ele me tomou nos braços com facilidade, levando-me para junto de alguns colchonetes.
Deitou-me suavemente e acomodou seu rosto entre os meus seios.
- Voce é um tesão. Já tinha te percebido outras vezes que você teve aqui. E desde então, não tenho sonhado com outra coisa... – confessou ele.
- Sonhado com que? –perguntei acariciando seus cabelos.
- Sonhado em trepar com você. – uma das suas mãos desceu e tocou meu ventre macio.
Me movi excitada, com aquele hálito quente sobre os meus seios e sua mão hábil e provocadora que descia pela minha barriga. Excitada, entreabri as pernas e sua mão que me acariciava, insinuou-se em direção da minha xoxoxta. Ele estendeu sua língua por entre meus lábios entreabertos, beijou-me, enroscando sua língua na minha. Seu corpo cobriu o meu, encaixando-se num 69.
-Oh, Silvio...eu precisava disto... – ofeguei entregue e excitada ao extremo. – Mal posso esperar para tê-lo dentro de mim, enlouquecendo minha xoxota...
- E eu, mal posso esperar para gozar dentro da sua bocetinha...
- Voce vai me fazer gozar?
- Sim, você vai gozar como jamais gozou em sua vida...vou encher de porra quente e abundante sua xoxota.
Logo senti sua língua enfiar-se na minha buceta. Ergui meus quadris e sua língua avançou mais e lambeu-me sofregamente.Depois beijou meu botãozinho delicado do clitóris.


-Ahhh... que deliciaaa...! – gemi, sentindo a carícia de forma intensa e prolongada. Senti seu corpo arrepiar-se quando minha língua estendeu-se penetrando entre a glande e o prepúcio, girando e o alucinando.
Minha boca abriu-se e o suguei. Ele se agarrou as minhas coxas, chupando minha buceta, lambendo o clitóris e mordiscando-o cuidadosamente.
Suas mãos escorregavam pelas minhas pernas,numa carícia longa.
Eu gemia, minha respiração entrecortada revelava toda paixão que explodia em meu corpo, arrancada pela sua língua hábil.
E eu retribuía, sugando avidamente seu pau.
Nossos corpos esfregando-se numa dança alucinada.
- Vou faze-lo gozar em minha boca... – gemi mamando gulosamente sua pica endurecida.
- Simmm...ahhh...Faça isso...quero gozar em sua boca...
Uma de suas mãos foi acariciar meu reguinho, buscando meu cuzinho. Eu rebolei, aceitando seu dedo que forçava passagem por entre as minhas pregas.
“Todo homem é tarado num cuzinho ...Impressionante! 
Eu gemi de puro prazer.
Ele redobrou os beijos e chupadas na minha buceta.
Logo, comecei a gozar, meu corpo tomado por contrações e espasmos. Enquanto eu o chupava, ele movia os quadris ritmadamente, fodendo minha boca; meus lábios apertando-se contra a pele retesada do seu pau.
Pouco a pouco, os movimentos de Silvio foram se tornando frenéticos, sua boca não descolava da minha buceta, seu dedo estocava meu cuzinho; enquanto eu gozava seguidamente e chupava seu pau .
Ele gemeu, um gemido rouco e prolongado, retesando seu corpo abalado por espasmos.
Quando ele ia gozar, entre gemidos e suspiros, eu deixei seu pau escapar da minha boca e o agarrei com ambas as mãos, masturbando-o até que ele gozasse.
Ele ainda ofegava, todo trêmulo, quando eu com a minha xoxota latejando de tesão, subi por cima dele e sentei-me no seu caralho lambuzado de esperma.
Ele deslizou para o interior da minha buceta lubrificada.
Eu estava completamente tomada pelo tesão. Saltei sobre o seu caralho, fazendo-o enterrar-se profundamente dentro de mim.



Ele estendeu as mãos, beliscando meus seios, apertando-os.
- Quero gozar no seu pau...– murmurei, alucinada, movendo freneticamente os meus quadris, enquanto meus dedos se enroscavam nos pelos dourados e fartos que cobriam o peito dele e desciam pelo seu ventre.
- Sim, goze querida...apague todo o fogo de sua xoxota... – incentivou ele.
Eu estremecia convulsamente, mas não parava; fazendo seu cacete ainda duro entrar e sair num ritmo frenético.

- Ahhh...deliciaaa...cachorro, safado, sacana...assim...ahhh...que...delícia...de pau...aaahhh...
- Tesuda....ahhh...aperta meu pau...ordenha ele...putinha maravilhosa...que buceta apertada e molhada...vou encher de porra...aahhh...
- Ahhh...estou me desmanchandooo....uiii... que deliciaaa....- gemi com a respiração ofegante e o corpo todo arrepiado. Silvio, virou-me na cama, pondo-me de 4.
Enterrou sua vara na minha buceta e continuou me fustigando.
Estávamos como numa espécie de transe erótico.
Eu gozava sem parar, enquanto ele segurando-me firmemente pelos quadris, ficou golpeando seu corpo contra o meu, até estremecer convulsamente e seu caralho parecendo que ia explodir.
Ele ejaculou copiosamente dentro da minha xoxota.
Tombamos exaustos , com ele abraçando-me com força, beijando e mordiscando minha nuca e pescoço.
- Ahhh.. isso foi além do que eu esperava...
- Puxa! Quero relaxar sempre assim e gozar...Adorei sua massagem...

Reações: