terça-feira, 18 de dezembro de 2012

VAGINA - Tem vergonha da sua? A gente ajuda você a...


Vaginas não são todas iguais - têm diferentes formatos, cores e texturas. Mas muitas mulheres sofrem com a ideia de que existe um "modelo ideal".





D.A, 21 anos, fica travada quando o namorado coloca a mão por dentro da sua calcinha. M.M, 18, nunca se troca na frente das amigas. D.S, 23, jamais deixa o namorado fazer sexo oral nela se a luz estiver acesa. As três se escondem sob diferentes desculpas por uma razão em comum: sentem vergonha da própria vagina.

Antes de prosseguir, é bom deixar claro que o que essa matéria chama de vagina é na verdade o conjunto formado pela vulva (toda a parte externa do órgão sexual feminino)e pela vagina propriamente dita (que é o canal vaginal). Adotamos a nomenclatura do senso comum. O clitóris se localiza na vulva ou na vagina? Acertou quem respondeu vulva. Sim, é confuso mesmo. E é impressionante como muitas mulheres ainda desconhecem informações básicas sobre o próprio corpo. Como nosso equipamento sexual é mais interno do que externo, fica difícil observá-lo cara a cara, ao contrário do que acontece com os homens. Além de ter muito mais intimidade com o próprio pênis, eles ainda conhecem melhor o dos outros - que fica ali mais exposto no vestiário, por exemplo.

Se há diferentes tipos de pênis (e de narizes, mãos, pés, bocas...), o mesmo vale para a vagina, "fabricada" em toda uma variedade de tamanhos e cores. Existem as magras, as gordinhas, com lábios grossos, finos, simétricos, assimétricos, claros, escuros, com clitóris grande, pequeno, escondido, exposto... Essas diferenças seriam só diferenças se não houvesse um "padrão vaginal ideal" no imaginário feminino. "Assim como na fantasia dos homens o pênis precisa ser grande, na cabeça das mulheres a vagina tem de ser pequena, escondidinha, discreta e delicada", diz a psicóloga Joana Vilhena Novaes, coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza da PUC-Rio.

A frase "Minha filha, seu clitóris é tão grande!" acompanha a secretária D.A desde o tempo em que ela nem sabia o que clitóris queria dizer. "Cresci ouvindo minha mãe falar isso." Um dia, durante uma sessão de amassos com um ficante, D. ouviu dele o mesmo comentário - e travou para sempre. "Nem sei se foi uma observação ou uma crítica", conta. "Só sei que fiquei supermal e nunca mais quis sair com o cara. Desde então, toda vez que estou com alguém numa situação íntima, a frase 'seu clitóris é tão grande' se acende na minha cabeça como um anúncio luminoso". Resultado de tudo isso: Daniela nunca conseguiu ter um orgasmo. Ela sabe que existe uma cirurgia para corrigir o "problema", mas tem medo de fazer e não dar certo.

NO BISTURI

A procura por plásticas íntimas cresceu muito entre as brasileiras nos últimos três anos, principalmente entre as mulheres de até 30 anos. "Pelo menos metade das pacientes se encaixa nessa faixa etária", diz o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Sebastião Guerra. No ano passado foram realizadas cerca de 40 mil intervenções nessa região do corpo. Guerra afirmou que o ano de 2011 terminou com um aumento de 20% no número de operações.

Entre as mulheres jovens e sem filhos, os campeões de queixas nos consultórios ginecológicos são pequenos lábios grandes demais, grandes lábios flácidos e monte de Vênus "gordo" ( o monte de Vênus é a parte frontal da vulva, toda aquela área coberta pelo V do biquini). O SUS e os planos de saúde só aceitam pagar pela correção desses problema quando existe a comprovação de que são realmente problemas - e não apenas um drama causado por um incômodo estético. "Pequenos lábios grandes demais são mais suscetíveis a infecções, o que justifica a cirurgia", diz o ginecologista José Antônio Zelaquett, do Rio de Janeiro.

O QUE OS OLHOS NÃO VEEM

No caso da publicitária D.S - aquela que só topa receber sexo oral com as luzes apagadas -, o apoio do namorado não bastou para derrubar essa barreira. "Eu confessei para ele que acho minha vagina escura e os meus grande lábios flácidos", diz. "Ele respondeu que não liga, mas acho que foi por educação".

Se o incentivo do namorado não é suficiente para que a mulher viva em paz com o próprio corpo, muitas vezes nem mesmo os procedimentos estéticos são. Depois de passar anos encanada com o tamanho dos seus pequenos lábios, a estudante B.M, 18, os reduziu com cirurgia plástica - e mesmo assim não ficou 100% feliz com o resultado. "Acho que está sobrando uma pontinha". Sou perfeccionista!", diz.

Além das conversas com o parceiro e das cirurgias, a velha e boa terapia vale como tratamento para o divórcio entre a cabeça e a vagina. "O processo de cura envolve muita conversa e alguns exercícios", ensina a sexóloga Walkíria Fernandes, de Belo Horizonte. "Nós sugerimos às pacientes que toquem a própria genitália e explorem o corpo com a ajuda de um espelho. A ideia é que a mulher volte o foco não para a estética da vagina, mas para as sensações que essa parte do corpo proporciona".

O QUE INCOMODA? 

Pequenos lábios grandes 

SOLUÇÕES

A ninfoplastia (ou labioplastia), cirurgia plástica que corta e remove o excesso da pele na região. Pode ser feita com anestesia local e tem duração média de 40 minutos. São dados pontos, e a paciente recebe alta no mesmo dia. Deve-se ficar dois dias em repouso absoluto e, no mínimo, 30 sem sexo.

                                                            
O QUE INCOMODA? 

Grandes lábios assimétricos

SOLUÇÕES

Podem ser feitos tanto uma redução nos grandes lábios como um preenchimento da parte menor. A primeira funciona da mesma forma que a ninfoplastia. Na outra, o médico usa a gordura da parte interna dos joelhos para preencher o lábio murcho.


O QUE INCOMODA?

Monte de Vênus alto (vulva gordinha)

SOLUÇÕES

Uma minilipoaspiração local resolve o drama. O mecanismo é o mesmo da lipo tradicional, em que uma cânula fina faz a sucção da gordura extra. É necessário usar calcinhas modeladoras no mês que se segue à plástica para evitar deformidades.

O QUE INCOMODA?

Clitóris grande

SOLUÇÕES

O clitóris é uma área supervascularizada ligada ao prazer sexual e ao orgasmo. Uma cirurgia delicada remove o que os médicos consideram como excesso. Mas tenha cuidado dobrado antes de entrar na faca porque existe risco de perda da sensibilidade!

O QUE INCOMODA?

Virilha manchada

SOLUÇÕES

O uso diário de cremes à base de ácido tioglicólico pode amenizar as manchas, mas mantenha-os afastados dos genitais. O tratamento clareador com laser tem resultados bem melhores. Para prevenir: substitua a depilação com cera pela feita com aparelho depilatório ou laser. Se usar biquini cavado, passe filtro solar na área.

O QUE INCOMODA?

Cor dos pelos

SOLUÇÕES

Nada de reaproveitar o tubo para combinar a cor que você usa nos cabelos de cima com os de baixo. Na área pubiana, utilize uma tintura especial (como a Refectocil), também usada para cílios e sobrancelhas. Os riscos de que cause alergias são menores.

O QUE INCOMODA?

Canal largo

SOLUÇÕES

É comum após o parto a vagina afrouxar com o rompimento da musculatura do períneo, resolvida com uma plástica chamada perineoplastia. É raro, mas quem não teve filhos também pode ter o canal mais largo. Nesse caso, é feito um preenchimento na entrada da vagina, o que aumenta a fricção com o pênis.

O QUE INCOMODA?

Cheiro ruim

SOLUÇÕES

A vagina tem cheiro próprio e individual, mas infecções vaginais e o uso de antibióticos podem mudar o odor. Se notar o corrimento amarelado, ardor e cheiro diferente, corra para o médico. Cápsulas perfumadas de sex shop podem ser utilizadas lá em dias especiais.

Reações: