quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tudo que você deve saber sobre aumento peniano



. Este é um tema delicado e controverso, Discussões sobre aumento peniano e tamanho do pênis estão cada vez mais comuns nos dias atuais. Assim como as mulheres tem desejo de aumentar os seios ou o bumbum, cada vez mais homens tentam recorrer à cirurgia de aumento peniano para corrigir uma (suposta) inadequação quanto ao tamanho de seu pênis, ou por questões puramente estéticas, simplesmente para se sentir melhor consigo mesmo.

Por que o desejo pelo aumento peniano?
A raiz da discussão sobre aumento peniano tem início com as tribos primitivas e suas crenças antigas de que os machos com o órgão sexual maior possuíam maior força e resistência, o que, supostamente, lhes conferia maior capacidade reprodutiva e maior atração pelos indivíduos do sexo oposto. Resumo da ópera? – Os indivíduos “maiores” supostamente ficavam com maior quantidade de fêmeas. E os indivíduos “pequenos” ficavam com o que lhes restasse.
No século XVI, os índios da tribo Topinama injetavam veneno de cobras em seus órgãos sexuais visando atingir o aumento peniano, apesar do relato que dizia que a dor durava cerca de seis meses, este povo mesmo assim suportava tal sofrimento em busca do aumento peniano, com o objetivo final de agradar suas parceiras.
Atualmente, a questão do aumento peniano é vista com muito mais naturalidade. Cada vez mais indivíduos que possuem algum grau de insatisfação relacionada ao tamanho do pênis buscam os consultórios e clinicas de cirurgia plástica buscando o suposto milagre do aumento peniano.

Qual o tamanho normal do pênis? (Veja também postagem “O tamanho do meu pênis” e saiba como medi-lo)

 Em estado rígido, o tamanho pênis médio é de 14 a 15 cm em comprimento, e de 12 cm em circunferência. Quanto a tamanhos de pênis fora do padrão, estima-se que 1 a cada 10.000 homens possuam pênis com 25 cm de comprimento. Aproximadamente 3% dos homens possuem pênis com tamanho de 20 cm e, na maioria dos casos ( 75% ) o tamanho médio do pênis é de 14 cm. O que se comumente denomina como “pênis pequeno“ é aquele pênis com tamanho em ereção entre 10 – 11 cm ou menos, em comprimento e menos de 9 cm em grossura. A maioria dos pacientes que procuram a cirurgia de aumento peniano, possuem um tamanho pênis normal, optando pelo procedimento por questões puramente estéticas.

Cirurgia Aumento Peniano (o que dizem as clínicas e o que é verdade)

A cirurgia de aumento peniano pode ser dividida em 2 ramos principais:
  1. aumento peniano em comprimento (cirurgia do ligamento suspensor) e,
  2. engrossamento peniano através da bioplastia (faloplastia).
Clínicas: As cirurgias de aumento peniano são meramente estéticas, não interferindo com o mecanismo de ereção ou sensibilidade do pênis. Alem da bioplastia e cirurgia do ligamento suspensor, temos a lipoaspiraçao pubiana, bioplastia da cabeça do pênis e a cirurgia de fimose, que complementam a estética peniana.
Verdade: Do ponto de vista médico, não há nenhuma técnica cirúrgica aprovada que permita o aumento do pênis, tanto o comprimento quanto a largura, esclarece o urologista João Afif Abdo, mestre pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e titular da Sociedade Brasileira de Urologia e da Sociedade Latinoamericana de Medicina Sexual (Slams).
No Brasil, procedimentos para aumentar o tamanho ou volume do pênis são experimentais, de acordo com a resolução CFM de nº 1.478/97. Pelo documento, eles só podem ser realizados em ambiente acadêmico, com o consentimento assinado pelo paciente sobre todos os riscos envolvidos, que são inúmeros.
 "O pênis é um órgão altamente vascularizado e uma relação sexual depende disso. Qualquer veia que seja comprimida pode prejudicar o seu funcionamento", afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME), Valcinir Bedin.
Bedin diz que não há estatísticas sobre as cirurgias de aumento peniano no Brasil, justamente porque a modalidade não é reconhecida como prática médica.
 Mesmo fora do país, é difícil encontrar pesquisas que demonstrem a segurança e a eficácia das técnicas para aumento peniano. Em um trabalho publicado na revista "European Urology", cirurgiões do centro St. Peter's Andrology, em Londres, entrevistaram 42 homens que haviam sido submetidos à operação. As conclusões foram desanimadoras: dois terços deles se disseram insatisfeitos com resultados. O incremento médio conseguido com a cirurgia foi de apenas 1,3cm.
 Já o cirurgião plástico norte-americano Mark Solomon, da Filadélfia, garante que certos pacientes conseguem um aumento de até 3,5cm no comprimento e de 30% na largura do membro. "Mas os resultados variam", ponderou. Ele diz que realiza de seis a oito procedimentos por mês e é procurado por homens do mundo todo, especialmente da Europa.

Bioplastia Peniana (engrossamento peniano):

Biplastia com PMMA
Clínicas: Nesse procedimento, realizado sob anestesia local, pode-se obter uma aumento permanente e natural na circunferência total do pênis, através do implante de um material biocompatível chamado PMMA. O PMMA (metacrill) é uma substância biocompatível bastante segura, aprovada pela ANVISA e utilizada a mais de 50 anos na Medicina. O material é implantado entre a pele e o corpo cavernoso, não alterando a sensibilidade peniana ou a ereção. O procedimento de engrossamento peniano tem duração média de 30 minutos, não envolve cortes (o  PMMA é injetado através de uma micro punctura de injeção na base do pênis), e o paciente pode retornar para sua casa logo após o procedimento. Para realização do engrossamento peniano, é necessário que o individuo seja previamente postectomizado (tenha realizado a cirurgia de fimose pelo menos 30 dias antes da bioplastia). Após a realização da Bioplastia Peniana, o paciente deve utilizar o extensor peniano por 3 semanas, com o objetivo de assegurar a moldagem peniana realizada na bioplastia. O período de abstinência sexual recomendado apos a bioplastia para engrossar o pênis e de cerca de 10 dias.

Nota: O PMMA (polimetilmetacrilato), é uma substância aplicada no preenchimento de rugas, embora a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica já tenha emitido comunicados sobre a falta de estudos que comprovem a segurança do uso desse material em quantidades moderadas.

Verdade: Pele de cadáver

 Alguns médicos não usam PMMA e preferem a aplicação de gordura, porém essa aplicação pode deixar o pênis com ondulações. Além disso, parte dela é reabsorvida pelo corpo.
Outros médicos usam ainda o "AlloDerm", material processado a partir de pele humana adquirida em bancos de tecidos nos EUA. Em português claro, trata-se de tecido de cadáver.
 Numa clínica norte americana, as cirurgias para engrossar o pênis podem variar de US$ 4.000,00 a US$ 15.000,00.
Em alguns casos, é preciso repetir o procedimento para obter um resultado satisfatório. E as complicações possíveis vão da perda de sensibilidade a infecções que podem levar a necrose, entre outras.

Cirurgia do Ligamento Suspensor (aumento peniano em comprimento):

Clínicas: O pênis possui cerca de 2/3 de seu tamanho “embutidos” dentro do osso pélvico. Com o seccionamento do ligamento suspensor que prende o corpo peniano ao púbis, o paciente pode atingir um aumento peniano de 1-2 cm em média, que corresponde aquela parte do pênis que estava "embutida” dentro da pelve e agora está exteriorizada.
Não é possível prever o grau de aumento peniano antes da realização da cirurgia, já que esta, ira depender da anatomia de cada paciente.  A melhor indicação para esse tipo de cirurgia são para os casos de micropênis. Após a cirurgia de aumento peniano, é necessário que o paciente respeite o período de recuperação de 30 dias, dentro do qual não deve ter relações sexuais.
Nota: Para prevenir que o ligamento readquira a função original, é necessário fazer exercícios diários com pesos ligados ao pênis, por um período de seis meses. O resultado final é imprevisível, já que depende da anatomia de cada paciente.

Verdade: "Quando você desliga o pênis de sua área de fixação no púbis, ou tira o freio, como se diz, na realidade ele pode aumentar apenas de 0,5 a 1,5 centímetro. Mas acontece que o pênis desinserido em ereção aponta sempre para baixo, já que perdeu fixação. Não é um resultado interessante em termos estéticos. Nem funcionais. Um centímetro e meio a mais não gabarita uma cirurgia dessas, que também tem seus riscos”.

No caso da cirurgia não cicatrizar bem, ainda há o risco de infecções e quelóides (cicatrizes permanentes), da retração do pênis, riscos associados à anestesia, além, é claro, de possíveis falhas humanas.

A Resolução n.º 1.478 do CFM, jogou uma pá de cal no filão ainda explorado das plásticas penianas. A resolução define como experimentais – não liberadas para prática generalizada – dois tipos de cirurgia: alongamento peniano para correção de disfunção sexual e neurotripsia para correção de ejaculação precoce.  Esta última consiste na redução da sensibilidade do pênis por meio de cauterização de alguns nervos.
O Conselho Federal de Medicina, principal entidade médica do país, só autoriza a operação para homens com menos de 2 cm ou na reconstrução de tecidos para mutilados em acidentes.

Nos EUA, as cirurgias para aumento peniano podem variar de US$ 5.000,00 a US$ 20.000,00.

Estica e puxa (bombas e alongadores)

 Além das cirurgias para aumento peniano, homens recorrem a outras técnicas como aparelho de tração e bomba de vácuo (que provoca a dilatação do pênis através da irrigação dos vasos sanguíneos). A SBU, no entanto, alerta que nenhum dos métodos tem comprovação científica. O pênis não é uma sanfona. Tem limites. Os dispositivos que garantem aumento de pênis, como aparelhos à vácuo, aparelhos de tração mecânica, aparelhos de estimulação eletromagnética e pesos, não funcionam. “Podem causar ferimentos graves. E imagine como deve ser desconfortável andar com um dispositivo amarrado ao pênis por um dia inteiro. Do ponto de vista prático, é impossível”, afirma Lopes.

MÉTODOS QUE PROMETEM O AUMENTO PENIANO

Medicamentos via oral e injetáveisRemédios só funcionam na fase infantil. Se um uropediatra detectar que o menino tem micro-pênis, poderá fazer uso de medicamentos, e apenas entre 5 e 7 anos de idade. Na fase adulta, não há como reverter o quadro. Os pacientes que se sujeitam a tomar remédios podem ter complicações sérias de saúde
Cirurgias para aumentar o pênisAté hoje não há comprovação científica para cirurgia ou qualquer intervenção com objetivo de aumento peniano. Os resultados são duvidosos
Uso de aplicações de metacrilato ou gel russo (feito à base de ácido hialurônico)Tratamento perigoso e pode trazer resultados desastrosos, como cicatrizes e deformações no pênis. O homem pode ter dores locais, dificuldades nas relações sexuais e ardência. Há risco de gangrena e necrose na região, se for injetada no corpo cavernoso
ColágenoO uso de colágeno pode causar deformações
Extensores e bombas penianasVendidos pela internet e sex-shops, estes aparelhos submetem o pênis a tração contínua. Não há nenhum estudo que comprove o funcionamento. O homem que fizer uso destes dispositivos pode ter sérias complicações no pênis
Manuais de exercíciosNão há nenhum exercício ou uso de pesos no pênis que ajudem a aumentar o tamanho. Pelo contrário, quem faz uso pode se machucar seriamente

Outras cirurgias de pênis: 

Aumento da glande (cabeça do pênis) e bolsa escrotal:

Em alguns casos, realiza-se o aumento da glande e saco escrotal através do implante de biomateriais, complementando a aumento peniano proporcionado pela bioplastia e cirurgia do ligamento suspensor.

Lipoaspiração do pubis (Lipo Pubiana):

Cirurgia de fimose
Em alguns casos, o excesso de gordura na região pubiana passa a “esconder” o pênis, dando aparência de menor tamanho do pênis. Nesses casos esta indicada a realização de uma pequena Lipo na região. A lipo pubiana é realizada sob anestesia local, tem duração media de 40 minutos e o paciente e liberado logo apos o procedimento, sem necessidade de internação hospitalar. 

Cirurgia de Fimose (postectomia):

A cirurgia de fimose remove o excesso de pele sobre a glande (cabeça do pênis). Essa e uma cirurgia bastante simples, realizada geralmente por um cirurgião geral ou urologista, sob anestesia local e com duração media de 30 minutos. A cicatrização demora cerca de 30 dias.

Teia Peno Escrotal (“Turkey Neck”):

exemplo de pênis com implantação alta do saco escrotal
Alguns pacientes podem apresentar uma implantação alta do saco escrotal no corpo do pênis, e em certos casos, essa implantação pode ocorrer até bem próximo a glande, dando a impressão de um pênis menor, já que o corpo peniano fica “escondido” no saco escrotal. Embora não acarrete nenhuma prejuízo a parte funcional do pênis, muitos homens desejam a correção dessa alteração, visando alcançar uma estética peniana mais adequada. A cirurgia é realizada sob anestesia local, tem duração média de 1 hora e o paciente é liberado da clinica logo após o procedimento.




Prótese Peniana

 O implante de próteses penianas visa conferir rigidez ao pênis, suficiente para a penetração.

As próteses penianas como alternativa de tratamento para disfunção erétil datam de 1950. Em 1973, inicia-se a chamada era moderna da prótese peniana. Desde então, tanto as técnicas cirúrgicas para sua implantação quanto o material, confecção e confiabilidade das próteses progrediram muito.


As indicações para o implante de próteses penianas são as seguintes:

- Doenças vasculares e arterioscleróticas,
- Diabetes mellitus,
- Cirurgias pélvicas ou perineais radicais,
- Doença de Peyronie,
- Radioterapia pélvica,
- Priapismo,
- Doenças sistêmicas crônicas,
- Disfunção erétil que não responde a outras formas de tratamento.
Atualmente, utilizam-se dois tipos de próteses penianas, as semi-rígidas e as infláveis. 

Próteses semi-rígidas

As próteses semi-rígidas são feitas de uma cordoalha de prata ou aço, envolvida por duas camadas de silicone, o que lhes confere rigidez e maleabilidade. Deixam o pênis em permanente ereção, podendo ser colocado em qualquer posição para facilitar sua ocultação.
Suas vantagens são: 

- preço mais acessível que os das infláveis;
- facilidade de implante;
- baixa taxa de complicações e alto índice de sucesso;
- confiabilidade e durabilidade dos implantes.

Suas desvantagens são: 


- ocasional dificuldade em ocultá-las e
- dificuldade em realizar certos procedimentos endoscópicos, caso o paciente os necessite no futuro.
Próteses infláveis

As próteses infláveis são compostas de algumas partes:
- dois cilindros infláveis;
- um reservatório para o líquido que infla as próteses;
- uma bomba e
- conexões para as diversas partes da prótese.

Já existe uma prótese inflável em que todas aquelas partes fundem-se numa única peça. Estas próteses são mais discretas, pois inflam-se ao comando manual do seu portador para a realização do ato sexual e, igualmente, ao seu comando, podem ser desinfladas e discretamente ocultadas. 


Suas vantagens são:

- a discrição e
- a imitação do funcionamento fisiológico do pênis. 


Suas desvantagens são:

- o alto custo (de três a quatro vezes o preço das semi-rígidas) e
- eventual necessidade de outra cirurgia para substituição de algum componente defeituoso, já que são mecanicamente menos confiáveis que as semi-rígidas.
A escolha do modelo mais apropriado


Não existe um tipo de prótese adequada para todos os pacientes. Cada caso deverá ser discutido com o paciente e sua parceira, enfatizando-se os custos, vantagens e desvantagens, riscos e resultados de cada tipo.
Técnicas de implante

As próteses penianas são implantadas por cirurgia. A anestesia pode ser local, espinhal ou geral.

Existem três vias de acesso cirúrgico a escolher:
- na união do escroto com o pênis;
- logo abaixo da glande e
- região perineal.

A cirurgia dura cerca de uma hora e o período de internação costuma ser de apenas um dia.

O paciente poderá voltar às atividades habituais em cerca de sete dias e relações sexuais em 30 a 45 dias. 
Complicações cirúrgicas

Existem complicações ou reações adversas. Em sua maioria, passíveis de resolução. São elas:

- perda de sensibilidade da glande, em alguns pacientes,
- diminuição da temperatura do pênis,
- diminuição do volume e tamanho do pênis, em alguns pacientes,
- insatisfação com a prótese, em alguns casos,
- insatisfação da parceira em relação à prótese, em alguns casos.
- dor peniana persistente, em alguns casos,
- inchaço prolongado do pênis, em alguns casos,
- defeito mecânico da prótese, em alguns casos,
- complicações do ato cirúrgico como hematomas, infecção, rejeição da prótese, perfuração do corpo cavernoso e lesão da uretra, em alguns casos.

É importante lembrar que, via de regra, o implante de próteses penianas é um tratamento de exceção e definitivo. 
Não há como arrepender-se, visto que a remoção das próteses não devolve ao paciente seu estado erétil anterior. Ao ser introduzida nos corpos cavernosos, as próteses penianas destroem o delicado tecido erétil do pênis. Outro importante aspecto a considerar, é que as próteses penianas não melhoram o desempenho sexual. Seu papel é apenas o de conferir rigidez para a penetração; não resolvem problemas como falta de desejo sexual, ejaculação precoce, ejaculação retardada, dificuldades orgásticas etc.

Portanto, para que falsas expectativas não sejam geradas, todas as vantagens, desvantagens, problemas cirúrgicos, aspectos pós-operatórios, complicações e efeitos adversos relativos ao implante de próteses penianas deverão ser exaustivamente discutidos entre o paciente, sua parceira e o médico.

Quando bem indicado, o implante de próteses penianas poderá devolver ao paciente o prazer do exercício de sua sexualidade. 


Opinião final:

Se você não está doente, se tem um pênis dentro da média, deixe de besteiras, capriche nas preliminares, estude as técnicas sexuais  e esquece essas cirurgias loucas de aumento peniano. 

Mais vale um anãozinho feliz do que um (suposto) gigante triste. 

Não consegui ver atrativos em ver e imaginar um pauzão duro que aponta pro chão.

Reações: